sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Cinema!



15h10 | A Família Bélier (La Famille Bélier)
de Eric Lartigau. Com Louane Emera, Karin Viard, François Damiens, Eric Elmosnino.
106 min - 12 anos
Com exceção de Paula, toda a família Bélier é muda. Aos 16 anos, a jovem é a intérprete oficial e é também quem cuida da administração da fazenda onde vivem. Mas ao descobrir que tem um dom para o canto, Paula decide participar de um concurso, e a família Bélier não lida bem com isso.


17h10 | O Grande Hotel Budapeste (The Grand Budapest Hotel)
de Wes Anderson. Com Ralph Fiennes, F. Murray Abraham, Mathieu Amalric, Adrien Brody.
100 min - 14 anos
No período entre as duas guerras mundiais, o concierge de um hotel europeu conhece um jovem empregado e os dois se tornam melhores amigos. Entre as histórias vividas, estão o roubo de um famoso quadro renascentista, a batalha por uma fortuna de uma família e mudanças que atingiram a Europa durante a primeira metade do século XX.


19h10, 21h30 | Relatos Selvagens (Relatos Salvajes)
de Damian Szifron. Com Ricardo Darin, Rita Cortese, Oscar Martinez, Maria Onetto.
120 min - 14 anos
Uma história de tragédia, amor, decepção, passado e violência, que espreitam a superfície do cotidiano. Vulneráveis às mudanças inesperadas da realidade, os personagens são levados para o abismo e para o prazer de perder o controle, atravessando a pequena linha que divide a civilização da barbárie.


15h (Sessão Dublada), 17h (Dublada), 19h (Sessão Legendada) |As Férias do Pequeno Nicolau (Les Vacances du Petit Nicolas)
de Laurent Tirard. Com Valérie Lemercier, Kad Merad, Mathéo Boisselier, Dominique Lavanant.
97 min - Livre
Ao terminar o ano letivo, Nicolau, seus pais e a avó viajam para o litoral. Lá, o garoto faz novos amigos e conhece uma menina por quem fica encantado e acredita ser sua futura esposa. Entre a praia, o hotel e a floresta, Nicolau e sua turma irão se aventurar nessas férias inesquecíveis.


Pré-Estreia todos os dias às 21h | Cássia Eller
de Paulo Henrique Fontenelle. Com Cássia Eller, Nando Reis, Oswaldo Montenegro, Zélia Duncan.
113 min - 12 anos.
A trajetória de uma das mais influentes intérpretes brasileiras dos últimos tempos. Cássia Eller deixou uma marca inegável na cultura do país e com imagens de arquivo e entrevistas, a carreira de Cássia é mostrada desde o seu surgimento no final dos anos 1980, até a sua morte precoce em 2001.


quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

A beleza da dança!

Jeffrey Vanhoutte é um fotógrafo de Bruxelas e criou uma série de fotos incríveis que congelam no tempo as poses da dançarina acrobática com nuvens de pó. O efeito é lindo! Confira:










terça-feira, 13 de janeiro de 2015

4 frutas para tratar a anemia!

As frutas podem corrigir nosso déficit de ferro? Não completamente, mas na realidade, são essenciais para poder firmar o nível de ferro em nosso organismo. Muitos nutricionistas aconselham, por exemplo, acompanhar aqueles alimentos que contêm ferro com um pouquinho de limão. Os berbigões, os mexilhões, o espinafre, caso colocamos um pouco de limão em cima conseguiremos aproveitar ainda mais o nível de ferro.


Confira 4 dicas que ajudam muito!

 1. Laranjas e limões
Os cítricos são ricos em vitamina C. Como dissemos anteriormente se convertem em peças imprescindíveis para complementar nossas dietas. Adicione as suas saladas com um pouquinho de suco de limão, isso ajudará o corpo a absorver o ferro.






2. Ameixas
Uma das melhores frutas medicinais. Conhece todas as propriedades das ameixas? São digestivas, tratam a prisão de ventre, as inflamações, dão energia e, o que é melhor, dispõe de uma dose muito elevada de ferro. As ameixas são magníficas! Você pode consumi-las de forma natural ou secas.


3. Batida de maçã e peras
Saudáveis, saborosas, polivalentes e curativas. Lembre-se do velho ditado “coma uma maçã por dia e viva 100 anos”. Das peras quase podemos dizer o mesmo. Ideal para o café da manhã. Descasque a maçã e a pera, adicione um copo de água e bata tudo no liquidificador. Além de delicioso ajuda a elevar os níveis de hemoglobina.



4. Acerola
A acerola sozinha é uma das frutas com maior nível de vitamina C e ferro. Além de grandes níveis de vitamina C, possui também vitamina B6, vitamina B1, vitamina A, flavonoides e minerais especiais (ferro, cálcio, fósforo, potássio, magnésio), indispensáveis para o organismo. É perfeita para tratar a anemia, para reduzir os sintomas do cansaço, estresse, fadiga e como não, para fortalecer nosso sistema imune.





Gostou? vi essas dicas aqui!

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

5 coisas incríveis para fazer com canos de pvc!

PVC de vários tamanhos fazem uma divisória muito bacana!

PVC pintado com textura para fazer uma sapateira!

PVC cortado na medida da gaveta para organizar tudo!

PVC virou adega charmosa

PVC e tinta spray dourada dão um efeito incrível!

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Receita: Pamonha Salgada

Pamonha Salgada
Rende 14 porções de 126 Kcal cada

Ingredientes
  • 1 colher de sobremesa de azeite de oliva
  • 250g de linguiça de frango cortada em rodelas
  • 7 espigas de milho
  • 1 xícara de chá de leite desnatado
  • 1 colher de café de sal
  • 1 colher de sopa de margarina

Modo de preparo
Aqueça o azeite e frite as rodelas de linguiça e reserve. Rale o milho e bata no liquidificador com o leite. Coloque em uma panela e tempere com o sal. Leve ao fogo e mexa até engrossar. Quando ferver, desligue o fogo, coloque a margarina e mexa até incorporar. Misture as rodelas de linguiça. Coloque em um refratário untado, cubra com papel-alumínio e leve ao forno médio (180°C) por cerca de 35 minutos.


quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Um dança encantadora e cheia de tecnologia!

A tecnologia do mapping pode ser usada de diversas formas. Essa que você vê no vídeo é uma das mais encantadoras.
Confira!


terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Favela - a origem do nome

Atualmente é politicamente correto a gente empregar o termo “COMUNIDADE” e evita-se dizer favela. mas você conhece a origem do nome FAVELA?
 
Você já parou para pensar qual o motivo de chamarmos os bairros pobres e sem infraestrutura de "FAVELAS"? 

FAVELA (Cnidoscolus phyllancatus)
Produz óleo comestível e combustível
A origem do nome "FAVELA" remete a um fato marcante ocorrido no Brasil na passagem do século XIX para o século XX: a Guerra de Canudos.


Na Caatinga nordestina, é muito comum uma planta espinhenta e extremamente resistente chamada "FAVELA"





Entre 1896 e 1897, liderados por Antônio Conselheiro, milhares de sertanejos cansados da humilhação e dificuldades de sobrevivência num Nordeste tomado de latifúndios improdutivos e secas, criam a cidadela de Canudos, no interior da Bahia, revoltando-se contra a situação calamitosa em que viviam.
Mapa da Região de Canudos - Bahia
Em Canudos, muitos sertanejos se instalaram nos arredores do "MORRO DA FAVELA", batizado em homenagem a esta planta.
Estátua de Antonio Conselheiro olha pela Nova Canudos.
A cidade original foi alagada para a construção de um Açude

Morro da Favela em dois momentos: Guerra de Canudos (esquerda) e atualmente (Direita)

Com medo de que a revolta minasse as bases da República recém instaurada, foi realizado um verdadeiro massacre em Canudos, com milhares de mortes, torturas e estupros em massa, num dos mais negros episódios da história militar brasileira, feito com maciço apoio popular.

Quando os soldados republicanos voltaram ao Rio de Janeiro, deixaram de receber seus soldos, e por falta de condições de vida mais digna, instalaram-se em casas de madeira sem nenhuma infraestrutura em morros da cidade (o primeiro local foi o atual "Morro da Providência"), ao qual passaram a chamar de "FAVELA", relembrando as péssimas condições que encontraram em Canudos.

Morro da Providência em foto antiga. Onde tudo começou...
Morro da Providência atualmente
Este tipo de sub-moradia já era utilizado há alguns anos pelos escravos libertos, que sem condições financeiras de viver nas cidades, passaram também a habitar as encostas. O termo pegou e todos estes agrupamentos passaram a chamar-se FAVELAS.

Mas existem vários "MITOS" sobre as Favelas que precisam ser avaliados...

01 - Costumamos achar que as maiores Favelas do mundo encontram-se no Brasil, mas é um engano. Nenhuma comunidade brasileira aparece entre as 30 maiores do Mundo. México, Colômbia, Peru e Venezuela lideram o Ranking, em mais um triste recorde para a América Latina.

Vista aérea da Favela de NEZA, nas proximidades da Cidade do México. A Maior do Mundo, com mais de 2,5 milhões de Habitantes
02 - Outro engano comum é achar que as Favelas são um fenômeno "terceiro-mundista", restrito a países subdesenvolvidos ou emergentes. Apesar de em quantidade bem menor, países desenvolvidos como Espanha também tem suas Favelas, chamadas por lá de "Chabolas".
Chabolas madrileñas, as favelas espanholas

03 - E um terceiro mito é o de que as Favelas apenas aumentam, não importa o que o governo faça. A especulação imobiliária e planos governamentais já acabaram com algumas favelas, mesmo no Rio de Janeiro. O caso mais famoso é o da Favela da Catacumba, ao lado da Lagoa Rodrigo de Freitas, que foi extinta em 1970. A Favela do Pinto também é outro exemplo.

Favela da Catacumba na Década de 60. Hoje, parque e prédios de luxo.

Conheça também a origem dos nomes de algumas favelas do Rio de Janeiro

Vista do Morro da Babilônia com Corcovado ao fundo

Babilônia

A vegetação exuberante e a vista privilegiada de Copacabana levaram os moradores a compararem o local com os "Jardins Suspensos da Babilônia".








Rocinha 



Rocinha 

Nos anos 30, após a crise da Bolsa de 1929 que levou vários produtores de café à bancarrota, o terreno da Fazenda Quebra-Cangalha foi invadido e dividido em pequenas chácaras, que vendiam sua produção na Praça Santos Dumont, responsável pelo abastecimento de toda a Zona Sul da cidade. Quando os clientes perguntavam de onde vinham os legumes, diziam: "-É de uma tal Rocinha lá no Alto da Gávea".















Mangueira

Nos anos 40, na entrada da trilha de subida do Morro, que na época ainda era coberto pela mata, foi colocada uma placa que dizia: "Em breve neste local, Fábrica de Chápeus Mangueira". A fábrica nunca foi construída, mas a placa permaneceu, batizando uma das mais emblemáticas comunidades cariocas.





Morro do Vidigal

Vidigal

Em homenagem ao dono original do terreno onde hoje se localiza a Favela, o Major Miguel Nunes Vidigal, figura muito influente durante o Império.












"Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, por sua origem ou ainda por sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender e, se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar."
Nelson Mandela


Saiba mais curiosidades Aqui!