segunda-feira, 30 de março de 2015

Inclusão: 10 termos sobre deficiência para abolir do vocabulário


O consultor de inclusão social, Romeu Sassaki, há termos e conceitos contaminados de preconceitos, estigmas e estereótipos. De acordo com Sassaki, “o maior problema decorrente do uso de termos incorretos reside no fato de os conceitos obsoletos, as idéias equivocadas e as informações inexatas serem inadvertidamente reforçados e perpetuados”.

O site Deficiente Ciente apresentou uma lista com 10 termos e conceitos que precisam ser abolidos para que tenhamos uma sociedade mais inclusiva.

1- aleijado; defeituoso; incapacitado; inválido
Defeituoso, aleijado e inválido são palavras muito antigas e eram utilizadas com freqüência até o final da década de 70.
TERMO CORRETO: Pessoa com deficiência ou pessoa deficiente
2- retardo mental, retardamento mental, retardado
TERMOS CORRETOS: deficiência intelectual ou deficiência mental. São pejorativos os termos retardado mental, mongolóide, mongol, pessoa com retardo mental, portador de retardamento mental,portador de mongolismo, retardado etc.

3- pessoa presa [confinada, condenada] a uma cadeira de rodas
TERMOS CORRETOS: pessoa em cadeira de rodas; pessoa que anda em cadeira de rodas; pessoa que usa cadeira de rodas. Os termos presa, confinada e condenada provocam sentimentos de piedade. No contexto coloquial, é correto o uso do termo cadeirante.
4- “ela sofre de paraplegia” [ou de paralisia cerebral ou de sequela de poliomielite]
A palavra sofrer coloca a pessoa em situação de vítima e, por isso, provoca sentimentos de piedade. 
FRASE CORRETA: “ela tem paraplegia” [ou paralisia cerebral ou sequela de poliomielite].

5- criança excepcional
TERMOS CORRETOS: criança com deficiência intelectual, criança com deficiência mental. Excepcionais foi o termo utilizado nas décadas de 50, 60 e 70 para designar pessoas com deficiência intelectual. Com o surgimento de estudos e práticas educacionais nas décadas de 80 e 90 a respeito de altas habilidades ou talentos extraordinários, o termo excepcionais passou a referir-se tanto a pessoas com inteligências múltiplas acima da média [pessoas superdotadas ou com altas habilidades e gênios] quanto a pessoas com inteligência lógico-matemática abaixo da média [pessoas com deficiência intelectual] daí surgindo, respectivamente, os termos excepcionais positivos e excepcionais negativos,de raríssimo uso.

6- mongolóide; mongol
TERMOS CORRETOS: pessoa com síndrome de Down, criança com Down, uma criança Down. As palavras mongol e mongolóide refletem o preconceito racial da comunidade científica do século 19. Em 1959, os franceses descobriram que a síndrome de Down era um acidente genético. O termo Down vem de John Langdon Down, nome do médico inglês que identificou a síndrome em 1866. A síndrome de Down é uma das anomalias cromossômicas mais freqüentes encontradas e, apesar disso, continua envolvida em idéias errôneas…

7- “paralisia cerebral é uma doença”
FRASE CORRETA: “paralisia cerebral é uma condição” Muitas pessoas confundem doença com deficiência.

8- “pessoa normal”
TERMO CORRETO: pessoa sem deficiência; pessoa não-deficiente. A normalidade,em relação a pessoas, é um conceito questionável e ultrapassado.

10- cadeira de rodas elétrica: Trata-se de uma cadeira de rodas equipada com um motor.

sexta-feira, 27 de março de 2015

Cinema: Estação NET Barra Point



O Sal da Terra (Le Sel De La Terre) | 14h50, 17h, 19h10, 21h20
de Wim Wenders, Juliano Ribeiro Salgado. Com Sebastião Salgado, Wim Wenders, Juliano Ribeiro Salgado.
110 min - 12 anos
A carreira do fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado, que se dedica a esse ofício artístico desde os anos 1970. Sempre fotografando em preto e branco, o artista expõe a desigualdade social e também a beleza e a degradação da natureza.

Para Sempre Alice (Still Alice) | 14h40
de Richard Glatzer, Wash Westmoreland. Com Julianne Moore, Alec Baldwin, Kristen Stewart, Kate Bosworth.
101 min - 14 anos.
A renomada linguista Alice Howland começa a esquecer as palavras e logo descobre sofrer de Alzheimer. Para enfrentar o problema, a família de Alice terá de reafirmar os seus laços, em especial a filha Lydia, com quem sempre teve uma relação complicada.

Se Fazendo de Morto (Je fais le mort) | 16h40
de Jean-Paul Salomé. Com François Damiens, Géraldine Nakache, Lucien Jean-Baptiste, Anne Le Ny.
104 min - 14 anos
Jean Renault é um ator desempregado que chegou ao fundo do poço. Até que um dia, ao procurar emprego numa agência, aparece uma proposta: ajudar a polícia na reconstituição das cenas dos crimes, "interpretando" o morto.

Mapas para as Estrelas (Maps to the Stars) | 18h40
de David Cronenberg. Com Mia Wasikowska, John Cusack e Robert Pattinson, Julianne Moore.
111 min - 16 anos
A história dos Weiss, típica família hollywoodiana. Sanford é um psicólogo que fez fortuna com livros de autoajuda. Christina, sua mulher, cuida da carreira do filho Benjie, astro mirim recém liberado da reabilitação. Completando a família, Agatha acaba sair do sanatório em que foi tratada por piromania criminosa.

Relatos Selvagens (Relatos Salvajes) | 21h
de Damian Szifron. Com Ricardo Darin, Rita Cortese, Oscar Martinez, Maria Onetto.
120 min - 14 anos
Uma história de tragédia, amor, decepção, passado e violência, que espreitam a superfície do cotidiano. Vulneráveis às mudanças inesperadas da realidade, os personagens são levados para o abismo e para o prazer de perder o controle, atravessando a pequena linha que divide a civilização da barbárie.


Receita: Bolo de Cenoura


Bolo de Cenoura
Tempo de preparo: 1h 30min
Rende: 15 porções 

Ingredientes 

Massa
3 cenouras grandes
3 ovos (em temperatura ambiente)
1 xícara de óleo (240 ml.)
3 xícaras de açúcar
3 xícaras de farinha de trigo
1 colher (de sopa) de fermento em pó

Cobertura
5 colheres de achocolatado ou chocolate em pó
1 colher de margarina
3 colheres de açúcar
1 ½ xícaras de leite

Modo de preparo 

Massa:
Corte a cenoura em pedaços.
No liquidificador, bata cenouras, ovos e óleo até formar uma pasta grossa, com pedacinhos bem pequenos de cenoura.
Despeje a mistura numa tigela e acrescente o açúcar e a farinha, mexendo delicadamente, até que os ingredientes sejam completamente incorporados.
Acrescente o fermento e misture levemente.
Em forma untada, leve ao forno pré-aquecido por cerca de 30 minutos (a 220ºC), ou até que o bolo esteja completamente assado.
Após assado, tire do forno, faça furinhos com um palito de dente e espalhe a cobertura.

Cobertura:
Coloque todos os ingredientes em uma panela e leve ao fogo alto, sempre mexendo.
Quando começar a ferver, abaixe a temperatura para médio e mexa até que a calda esteja bem consistente (aproximadamente 15 a 20 minutos).
Deixe esfriar e cubra o bolo.

Dicas:
- No lugar desta cobertura, você pode também usar brigadeiro (deixe-o com consistência mais mole do que o usado para enrolar) ou apenas chocolate derretido.
- Enfeite com raspas de chocolate ou granulado.
- Para fazer a cobertura, você pode usar o chocolate em pó ou o achocolatado, dependendo do seu gosto. O achocolatado é bem mais doce.
- Faça um pouco de cobertura extra (dobrando as quantidades, por exemplo) e reserve. Na hora de servir, esquente a calda e coloque sobre os pedaços já cortados, no prato de cada um.

quarta-feira, 11 de março de 2015

As Vacinas que o Bebê Precisa no 1º ano de vida


1 mês

BCG (dose única)
É a vacina que protege contra as formas graves de tuberculose, doença ainda muito comum em nosso país. Essa vacina não costuma provocar reações imediatas, mas depois de 2 a 3 semanas pode haver uma reação local, com o aparecimento de um nódulo que evolui para uma cicatriz. É aplicada em dose única, no braço direito, logo após o nascimento.

Hepatite B (primeira dose)
É a vacina que protege contra a hepatite B, uma forma de infecção viral que pode ser adquirida em qualquer momento da vida. É muito segura e eficaz. Devem ser administradas três doses para garantir proteção adequada.


2 meses
Hepatite B (segunda dose)
É a segunda dose da vacina que protege contra a hepatite B. Devem ser administradas três doses para garantir proteção adequada.

 

DTP (difteria, tétano e coqueluche, primeira dose)
Protege contra difteria (crupe), tétano e coqueluche (tosse comprida). A tríplice comum (contém a bactéria inteira da coqueluche) associa-se com diversos efeitos adversos após a aplicação, como febre e dor; com sua forma acelular (contém alguns produtos purificados da bactéria da coqueluche), as reações são muito mais leves. Deve ser aplicada em 3 doses e 2 reforços.
Hib (Haemophilus influenzae, primeira dose)
Protege contra a bactéria Haemophilus B, que é responsável por doenças graves como meningite, pneumonia e epiglotite (inflamação da glote, que leva à falta de ar). Devem ser administradas 3 doses e de 1 a 2 reforços.
Pólio oral ou inativada (primeira dose)
Protege contra a paralisia infantil. Existem dois tipos de vacina: Sabin, ou trivalente oral, produzida com o vírus vivo atenuado, e Salk, ou injetável, produzida com o vírus inativado. Deve ser administrada em 3 doses e 2 reforços.

Rotavírus (primeira dose)
É uma vacina que protege contra o rotavírus, agente frequente de diarreia entre as crianças. É uma vacina com vírus atenuado e deve ser administrada por via oral em 2 doses.


Pneumocócica conjugada (primeira dose)
Protege contra o pneumococo, bactéria que causa meningite e pneumonia. Deve ser administrada em 3 doses e 1 reforço.

OBS: Existe a possibilidade da conjugação da DPT, HIB, Pólio e Hepatite B, podendo-se fazer a Vacina Hexavalente.

 3 meses
Meningocócica C (primeira dose)
Protege contra o meningococo C, um dos tipos que causam a meningite meningocócica, forma grave de infecção. Deve ser administrada em 2 doses e 1 reforço. 



 4 meses
DTP (difteria, tétano e coqueluche, segunda dose)
Protege contra difteria (crupe), tétano e coqueluche (tosse comprida).  A tríplice comum (que contém a bactéria inteira da coqueluche) associa-se com diversos efeitos adversos após a aplicação, como febre e dor; com a forma acelular (que contém alguns produtos purificados da bactéria da coqueluche), as reações são muito mais leves. Deve ser aplicada em 3 doses e 2 reforços.

Hib (Haemophilus influenzae, segunda dose)
Protege contra a bactéria Haemophilus B, responsável por doenças graves como meningite, pneumonia e epiglotite (inflamação da glote, que leva à falta de ar). Devem ser administradas 3 doses e de 1 a 2 reforços.

Pólio oral ou inativada (segunda dose)
Protege contra a paralisia infantil. Existem dois tipos de vacina: Sabin, ou trivalente oral, produzida com vírus vivo atenuado, e Salk, ou injetável, produzida com vírus inativado. Deve ser administrada em 3 doses e 2 reforços.

Rotavírus (segunda dose)
É uma vacina que protege contra o rotavírus, agente frequente de diarreia entre as crianças. É uma vacina com vírus atenuado e deve ser administrada por via oral em 2 doses.

Pneumocócica conjugada (segunda dose)
Protege contra o pneumococo, bactéria que causa meningite e pneumonia. Deve ser administrada em 3 doses e 1 reforço.

OBS: Existe a possibilidade da conjugação da DPT, HIB e Pólio, podendo-se fazer a Vacina Pentavalente

5 meses

Meningocócica C (segunda dose)
Protege contra o meningococo C, um dos tipos que causam a meningite meningocócica, forma grave de infecção. Deve ser administrada em 2 doses e 1 reforço.




6 meses

Hepatite B (3ª dose)
É a vacina que protege contra a hepatite B, uma forma de infecção viral que pode ser adquirida em qualquer momento da vida. Devem ser administradas três doses para garantir proteção adequada.


DTP (difteria, tétano e coqueluche, terceira dose)
Protege contra difteria (crupe), tétano e coqueluche (tosse comprida). É uma combinação de duas toxinas inativadas (tétano e difteria) e de produtos da bactéria causadora da coqueluche. Deve ser aplicada em 3 doses e 2 reforços.

Hib (Haemophilus influenzae, terceira dose)
Protege contra a bactéria Haemophilus B, responsável por doenças graves como meningite, pneumonia e epiglotite (inflamação da glote, que leva à falta de ar). Devem ser administradas 3 doses e de 1 a 2 reforços.

Pólio oral ou inativada (terceira dose)
Protege contra a paralisia infantil. Existem dois tipos de vacina: Sabin, ou trivalente oral, produzida com vírus vivo atenuado, e Salk, ou injetável, produzida com vírus inativado. Deve ser administrada em 3 doses e 2 reforços.

Rotavírus (terceira dose)
É uma vacina que protege contra o rotavírus, agente frequente de diarreia entre as crianças. É uma vacina com vírus atenuado e deve ser administrada por via oral em 2 doses.

Influenza (primeira dose)
Protege contra alguns tipos de vírus que causam a gripe. Como esses vírus sofrem modificações, a vacina deve ser aplicada em 2 doses com intervalo de 1 mês entre elas, a partir dos 6 meses, e repetida anualmente.

OBS: Existe a possibilidade da conjugação da DPT, HIB, Pólio e Hepatite B, podendo-se fazer a Vacina Hexavalente



1 ano
Meningocócica C – dose de reforço
Protege contra o meningococo C, um dos tipos que causam a meningite meningocócica, forma grave de infecção. Deve ser administrada em 2 doses e 1 reforço.

SCR (sarampo, caxumba e rubéola) – primeira dose
Protege contra estas 3 infecções virais: o sarampo (doença exantemática que pode levar a complicações como pneumonias), a caxumba (inflamação da glândula parótida) e a rubéola (doença exantemática grave em mulheres grávidas). A imunização deve ser feita em duas doses, a primeira aos 12 meses de vida e a segunda entre 4 e 6 anos de idade.

Varicela – primeira dose
Protege contra as formas graves de varicela, uma infecção viral que leva à formação de vesículas pelo corpo, com febre e queda do estado geral. A primeira dose é aplicada com 1 ano de idade e pode ser feito um reforço na fase pré-escolar.

OBS: Existe a possibilidade da conjugação da SCR e Varicela, podendo-se fazer a Vacina Tetravalente Viral.

Hepatite A – primeira dose
É a vacina que protege contra a hepatite A, uma infecção viral que causa inflamação aguda e grave do fígado. Deve ser administrada em duas doses, com intervalo de 6 meses.



Vi aqui

terça-feira, 10 de março de 2015

Receita: Bolo de iogurte com geleia de amora


Bolo de iogurte com geleia de amora
Rendimento 12 porções
Tempo de preparo 50 min



Ingredientes
1 copo de iogurte natural;
1 copo de óleo;
2 copos de açúcar;
2 copos de farinha de trigo;
4 ovos;
1 colher (sopa) de fermento em pó;
geleia de amora a gosto, para a cobertura;
óleo e farinha para untar a fôrma o quanto baste.

Modo de fazer
1 Unte com óleo e enfarinhe uma fôrma de bolo.
2 Bata todos os ingredientes, exceto a geleia, no liquidificador.
3 Despeje a massa na fôrma untada e leve ao forno preaquecido a 180 °C por aproximadamente 40 minutos.
4 Desenforme e cubra com uma camada generosa de geleia de amora.

segunda-feira, 9 de março de 2015

Receita: super sucos


Superjuices 
Rendimento 1 copa para cada sabor
Tempo de preparo 5 min para cada um

Energia

Ingredientes:
1 kiwi sem casca;
½ manga;
1 limão-taiti;
suco de 1 laranja;
folhas de hortelã;

Vigor

Ingredientes:
100 g de morango;
suco de 1 laranja;
½ banana;
1 colher de (chá) de erva-doce;

Afrodisíaco

Ingredientes:
200 g de banana;
1 colher (sopa) de framboesa;
100 g de melancia;
1 pedaço pequeno de cenoura descascada;

Detox

Ingredientes:
100 g de melancia;
1 pêra;
70 ml de suco de limão;
1 pedaço pequeno de gengibre;
folhas de capim-limão;

Modo de preparo: 
O modo de preparo é o mesmo para todos os sucos. Coloque todos os ingredientes no liquidificador e bata, juntamente com algumas pedras de gelo. Sirva diretamente no copo, sem coar, para aproveitar todas as fibras das frutas.

domingo, 8 de março de 2015