segunda-feira, 30 de março de 2015

Inclusão: 10 termos sobre deficiência para abolir do vocabulário


O consultor de inclusão social, Romeu Sassaki, há termos e conceitos contaminados de preconceitos, estigmas e estereótipos. De acordo com Sassaki, “o maior problema decorrente do uso de termos incorretos reside no fato de os conceitos obsoletos, as idéias equivocadas e as informações inexatas serem inadvertidamente reforçados e perpetuados”.

O site Deficiente Ciente apresentou uma lista com 10 termos e conceitos que precisam ser abolidos para que tenhamos uma sociedade mais inclusiva.

1- aleijado; defeituoso; incapacitado; inválido
Defeituoso, aleijado e inválido são palavras muito antigas e eram utilizadas com freqüência até o final da década de 70.
TERMO CORRETO: Pessoa com deficiência ou pessoa deficiente
2- retardo mental, retardamento mental, retardado
TERMOS CORRETOS: deficiência intelectual ou deficiência mental. São pejorativos os termos retardado mental, mongolóide, mongol, pessoa com retardo mental, portador de retardamento mental,portador de mongolismo, retardado etc.

3- pessoa presa [confinada, condenada] a uma cadeira de rodas
TERMOS CORRETOS: pessoa em cadeira de rodas; pessoa que anda em cadeira de rodas; pessoa que usa cadeira de rodas. Os termos presa, confinada e condenada provocam sentimentos de piedade. No contexto coloquial, é correto o uso do termo cadeirante.
4- “ela sofre de paraplegia” [ou de paralisia cerebral ou de sequela de poliomielite]
A palavra sofrer coloca a pessoa em situação de vítima e, por isso, provoca sentimentos de piedade. 
FRASE CORRETA: “ela tem paraplegia” [ou paralisia cerebral ou sequela de poliomielite].

5- criança excepcional
TERMOS CORRETOS: criança com deficiência intelectual, criança com deficiência mental. Excepcionais foi o termo utilizado nas décadas de 50, 60 e 70 para designar pessoas com deficiência intelectual. Com o surgimento de estudos e práticas educacionais nas décadas de 80 e 90 a respeito de altas habilidades ou talentos extraordinários, o termo excepcionais passou a referir-se tanto a pessoas com inteligências múltiplas acima da média [pessoas superdotadas ou com altas habilidades e gênios] quanto a pessoas com inteligência lógico-matemática abaixo da média [pessoas com deficiência intelectual] daí surgindo, respectivamente, os termos excepcionais positivos e excepcionais negativos,de raríssimo uso.

6- mongolóide; mongol
TERMOS CORRETOS: pessoa com síndrome de Down, criança com Down, uma criança Down. As palavras mongol e mongolóide refletem o preconceito racial da comunidade científica do século 19. Em 1959, os franceses descobriram que a síndrome de Down era um acidente genético. O termo Down vem de John Langdon Down, nome do médico inglês que identificou a síndrome em 1866. A síndrome de Down é uma das anomalias cromossômicas mais freqüentes encontradas e, apesar disso, continua envolvida em idéias errôneas…

7- “paralisia cerebral é uma doença”
FRASE CORRETA: “paralisia cerebral é uma condição” Muitas pessoas confundem doença com deficiência.

8- “pessoa normal”
TERMO CORRETO: pessoa sem deficiência; pessoa não-deficiente. A normalidade,em relação a pessoas, é um conceito questionável e ultrapassado.

10- cadeira de rodas elétrica: Trata-se de uma cadeira de rodas equipada com um motor.

sexta-feira, 27 de março de 2015

Cinema: Estação NET Barra Point



O Sal da Terra (Le Sel De La Terre) | 14h50, 17h, 19h10, 21h20
de Wim Wenders, Juliano Ribeiro Salgado. Com Sebastião Salgado, Wim Wenders, Juliano Ribeiro Salgado.
110 min - 12 anos
A carreira do fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado, que se dedica a esse ofício artístico desde os anos 1970. Sempre fotografando em preto e branco, o artista expõe a desigualdade social e também a beleza e a degradação da natureza.

Para Sempre Alice (Still Alice) | 14h40
de Richard Glatzer, Wash Westmoreland. Com Julianne Moore, Alec Baldwin, Kristen Stewart, Kate Bosworth.
101 min - 14 anos.
A renomada linguista Alice Howland começa a esquecer as palavras e logo descobre sofrer de Alzheimer. Para enfrentar o problema, a família de Alice terá de reafirmar os seus laços, em especial a filha Lydia, com quem sempre teve uma relação complicada.

Se Fazendo de Morto (Je fais le mort) | 16h40
de Jean-Paul Salomé. Com François Damiens, Géraldine Nakache, Lucien Jean-Baptiste, Anne Le Ny.
104 min - 14 anos
Jean Renault é um ator desempregado que chegou ao fundo do poço. Até que um dia, ao procurar emprego numa agência, aparece uma proposta: ajudar a polícia na reconstituição das cenas dos crimes, "interpretando" o morto.

Mapas para as Estrelas (Maps to the Stars) | 18h40
de David Cronenberg. Com Mia Wasikowska, John Cusack e Robert Pattinson, Julianne Moore.
111 min - 16 anos
A história dos Weiss, típica família hollywoodiana. Sanford é um psicólogo que fez fortuna com livros de autoajuda. Christina, sua mulher, cuida da carreira do filho Benjie, astro mirim recém liberado da reabilitação. Completando a família, Agatha acaba sair do sanatório em que foi tratada por piromania criminosa.

Relatos Selvagens (Relatos Salvajes) | 21h
de Damian Szifron. Com Ricardo Darin, Rita Cortese, Oscar Martinez, Maria Onetto.
120 min - 14 anos
Uma história de tragédia, amor, decepção, passado e violência, que espreitam a superfície do cotidiano. Vulneráveis às mudanças inesperadas da realidade, os personagens são levados para o abismo e para o prazer de perder o controle, atravessando a pequena linha que divide a civilização da barbárie.


Receita: Bolo de Cenoura


Bolo de Cenoura
Tempo de preparo: 1h 30min
Rende: 15 porções 

Ingredientes 

Massa
3 cenouras grandes
3 ovos (em temperatura ambiente)
1 xícara de óleo (240 ml.)
3 xícaras de açúcar
3 xícaras de farinha de trigo
1 colher (de sopa) de fermento em pó

Cobertura
5 colheres de achocolatado ou chocolate em pó
1 colher de margarina
3 colheres de açúcar
1 ½ xícaras de leite

Modo de preparo 

Massa:
Corte a cenoura em pedaços.
No liquidificador, bata cenouras, ovos e óleo até formar uma pasta grossa, com pedacinhos bem pequenos de cenoura.
Despeje a mistura numa tigela e acrescente o açúcar e a farinha, mexendo delicadamente, até que os ingredientes sejam completamente incorporados.
Acrescente o fermento e misture levemente.
Em forma untada, leve ao forno pré-aquecido por cerca de 30 minutos (a 220ºC), ou até que o bolo esteja completamente assado.
Após assado, tire do forno, faça furinhos com um palito de dente e espalhe a cobertura.

Cobertura:
Coloque todos os ingredientes em uma panela e leve ao fogo alto, sempre mexendo.
Quando começar a ferver, abaixe a temperatura para médio e mexa até que a calda esteja bem consistente (aproximadamente 15 a 20 minutos).
Deixe esfriar e cubra o bolo.

Dicas:
- No lugar desta cobertura, você pode também usar brigadeiro (deixe-o com consistência mais mole do que o usado para enrolar) ou apenas chocolate derretido.
- Enfeite com raspas de chocolate ou granulado.
- Para fazer a cobertura, você pode usar o chocolate em pó ou o achocolatado, dependendo do seu gosto. O achocolatado é bem mais doce.
- Faça um pouco de cobertura extra (dobrando as quantidades, por exemplo) e reserve. Na hora de servir, esquente a calda e coloque sobre os pedaços já cortados, no prato de cada um.

quarta-feira, 25 de março de 2015

Dicas para esconder a barriguinha


Truques simples e saber escolher a roupa correta podem te deixar em forma em alguns segundos.

 

 

 

Regrinhas para esconder barriga:
Esqueça as roupas muito justas
As pessoas pensam que usar roupas apertadas pode alongar a silhueta e parecer mais magra, mas quando você usa uma roupa muito apertada seu look não fica nada elegante e dá uma sensação de volume fazendo você parecer até maior. Então, compre roupas do seu tamanho, jamais menores!

Evite volume
Evite roupas que criem volume na área da barriga, como calça com pregas ou cintos muito largos.
Evite o tubinho
O vestido reto estilo tubinho é bem elegante, mas não deve estar no corpinho de quem quer disfarçar a barriguinha.
Tons escuros
É verdade que roupas escuras passam a  ideia de uma silhueta mais enxuta, não só o preto como todos os tons escuros podem favorecer na hora de esconder a barriguinha!
Tecidos opacos e sem volume
Na hora de escolher o tecido da roupa, prefira os que não tenham muito volume ou textura.
Use uma cinta
As cintas podem ser usadas desde que não marquem na roupa, elas podem ser as grandes amigas do look para disfarçar o volume abdominal.

Cuidado com as estampas
Evite as estampas muito grandes ou espaçadas que chamam muita atenção.
Aposte:
Vestidos ou blusas tipo cintura império
Vestidos envelopes ou transpassados
Saia evasê
Calças retas


Enquanto a barriguinha saliente estiver incomodando você é possível usar de algumas artimanhas da moda para disfarçá-la. Sabendo se vestir bem você sempre estará em forma!

Fonte

quarta-feira, 11 de março de 2015

As Vacinas que o Bebê Precisa no 1º ano de vida


1 mês

BCG (dose única)
É a vacina que protege contra as formas graves de tuberculose, doença ainda muito comum em nosso país. Essa vacina não costuma provocar reações imediatas, mas depois de 2 a 3 semanas pode haver uma reação local, com o aparecimento de um nódulo que evolui para uma cicatriz. É aplicada em dose única, no braço direito, logo após o nascimento.

Hepatite B (primeira dose)
É a vacina que protege contra a hepatite B, uma forma de infecção viral que pode ser adquirida em qualquer momento da vida. É muito segura e eficaz. Devem ser administradas três doses para garantir proteção adequada.


2 meses
Hepatite B (segunda dose)
É a segunda dose da vacina que protege contra a hepatite B. Devem ser administradas três doses para garantir proteção adequada.

 

DTP (difteria, tétano e coqueluche, primeira dose)
Protege contra difteria (crupe), tétano e coqueluche (tosse comprida). A tríplice comum (contém a bactéria inteira da coqueluche) associa-se com diversos efeitos adversos após a aplicação, como febre e dor; com sua forma acelular (contém alguns produtos purificados da bactéria da coqueluche), as reações são muito mais leves. Deve ser aplicada em 3 doses e 2 reforços.
Hib (Haemophilus influenzae, primeira dose)
Protege contra a bactéria Haemophilus B, que é responsável por doenças graves como meningite, pneumonia e epiglotite (inflamação da glote, que leva à falta de ar). Devem ser administradas 3 doses e de 1 a 2 reforços.
Pólio oral ou inativada (primeira dose)
Protege contra a paralisia infantil. Existem dois tipos de vacina: Sabin, ou trivalente oral, produzida com o vírus vivo atenuado, e Salk, ou injetável, produzida com o vírus inativado. Deve ser administrada em 3 doses e 2 reforços.

Rotavírus (primeira dose)
É uma vacina que protege contra o rotavírus, agente frequente de diarreia entre as crianças. É uma vacina com vírus atenuado e deve ser administrada por via oral em 2 doses.


Pneumocócica conjugada (primeira dose)
Protege contra o pneumococo, bactéria que causa meningite e pneumonia. Deve ser administrada em 3 doses e 1 reforço.

OBS: Existe a possibilidade da conjugação da DPT, HIB, Pólio e Hepatite B, podendo-se fazer a Vacina Hexavalente.

 3 meses
Meningocócica C (primeira dose)
Protege contra o meningococo C, um dos tipos que causam a meningite meningocócica, forma grave de infecção. Deve ser administrada em 2 doses e 1 reforço. 



 4 meses
DTP (difteria, tétano e coqueluche, segunda dose)
Protege contra difteria (crupe), tétano e coqueluche (tosse comprida).  A tríplice comum (que contém a bactéria inteira da coqueluche) associa-se com diversos efeitos adversos após a aplicação, como febre e dor; com a forma acelular (que contém alguns produtos purificados da bactéria da coqueluche), as reações são muito mais leves. Deve ser aplicada em 3 doses e 2 reforços.

Hib (Haemophilus influenzae, segunda dose)
Protege contra a bactéria Haemophilus B, responsável por doenças graves como meningite, pneumonia e epiglotite (inflamação da glote, que leva à falta de ar). Devem ser administradas 3 doses e de 1 a 2 reforços.

Pólio oral ou inativada (segunda dose)
Protege contra a paralisia infantil. Existem dois tipos de vacina: Sabin, ou trivalente oral, produzida com vírus vivo atenuado, e Salk, ou injetável, produzida com vírus inativado. Deve ser administrada em 3 doses e 2 reforços.

Rotavírus (segunda dose)
É uma vacina que protege contra o rotavírus, agente frequente de diarreia entre as crianças. É uma vacina com vírus atenuado e deve ser administrada por via oral em 2 doses.

Pneumocócica conjugada (segunda dose)
Protege contra o pneumococo, bactéria que causa meningite e pneumonia. Deve ser administrada em 3 doses e 1 reforço.

OBS: Existe a possibilidade da conjugação da DPT, HIB e Pólio, podendo-se fazer a Vacina Pentavalente

5 meses

Meningocócica C (segunda dose)
Protege contra o meningococo C, um dos tipos que causam a meningite meningocócica, forma grave de infecção. Deve ser administrada em 2 doses e 1 reforço.




6 meses

Hepatite B (3ª dose)
É a vacina que protege contra a hepatite B, uma forma de infecção viral que pode ser adquirida em qualquer momento da vida. Devem ser administradas três doses para garantir proteção adequada.


DTP (difteria, tétano e coqueluche, terceira dose)
Protege contra difteria (crupe), tétano e coqueluche (tosse comprida). É uma combinação de duas toxinas inativadas (tétano e difteria) e de produtos da bactéria causadora da coqueluche. Deve ser aplicada em 3 doses e 2 reforços.

Hib (Haemophilus influenzae, terceira dose)
Protege contra a bactéria Haemophilus B, responsável por doenças graves como meningite, pneumonia e epiglotite (inflamação da glote, que leva à falta de ar). Devem ser administradas 3 doses e de 1 a 2 reforços.

Pólio oral ou inativada (terceira dose)
Protege contra a paralisia infantil. Existem dois tipos de vacina: Sabin, ou trivalente oral, produzida com vírus vivo atenuado, e Salk, ou injetável, produzida com vírus inativado. Deve ser administrada em 3 doses e 2 reforços.

Rotavírus (terceira dose)
É uma vacina que protege contra o rotavírus, agente frequente de diarreia entre as crianças. É uma vacina com vírus atenuado e deve ser administrada por via oral em 2 doses.

Influenza (primeira dose)
Protege contra alguns tipos de vírus que causam a gripe. Como esses vírus sofrem modificações, a vacina deve ser aplicada em 2 doses com intervalo de 1 mês entre elas, a partir dos 6 meses, e repetida anualmente.

OBS: Existe a possibilidade da conjugação da DPT, HIB, Pólio e Hepatite B, podendo-se fazer a Vacina Hexavalente



1 ano
Meningocócica C – dose de reforço
Protege contra o meningococo C, um dos tipos que causam a meningite meningocócica, forma grave de infecção. Deve ser administrada em 2 doses e 1 reforço.

SCR (sarampo, caxumba e rubéola) – primeira dose
Protege contra estas 3 infecções virais: o sarampo (doença exantemática que pode levar a complicações como pneumonias), a caxumba (inflamação da glândula parótida) e a rubéola (doença exantemática grave em mulheres grávidas). A imunização deve ser feita em duas doses, a primeira aos 12 meses de vida e a segunda entre 4 e 6 anos de idade.

Varicela – primeira dose
Protege contra as formas graves de varicela, uma infecção viral que leva à formação de vesículas pelo corpo, com febre e queda do estado geral. A primeira dose é aplicada com 1 ano de idade e pode ser feito um reforço na fase pré-escolar.

OBS: Existe a possibilidade da conjugação da SCR e Varicela, podendo-se fazer a Vacina Tetravalente Viral.

Hepatite A – primeira dose
É a vacina que protege contra a hepatite A, uma infecção viral que causa inflamação aguda e grave do fígado. Deve ser administrada em duas doses, com intervalo de 6 meses.



Vi aqui

terça-feira, 10 de março de 2015

Receita: Bolo de iogurte com geleia de amora


Bolo de iogurte com geleia de amora
Rendimento 12 porções
Tempo de preparo 50 min



Ingredientes
1 copo de iogurte natural;
1 copo de óleo;
2 copos de açúcar;
2 copos de farinha de trigo;
4 ovos;
1 colher (sopa) de fermento em pó;
geleia de amora a gosto, para a cobertura;
óleo e farinha para untar a fôrma o quanto baste.

Modo de fazer
1 Unte com óleo e enfarinhe uma fôrma de bolo.
2 Bata todos os ingredientes, exceto a geleia, no liquidificador.
3 Despeje a massa na fôrma untada e leve ao forno preaquecido a 180 °C por aproximadamente 40 minutos.
4 Desenforme e cubra com uma camada generosa de geleia de amora.